na sombra da dúvida

Ninguém bateu

Mas havia algo atrás da porta

Nada que não pudesse esperar

Por mais três pares de anos

O sol se espalhava

Por janelas perplexas

Luas passavam sorrindo

Ao desfeito do tempo

Cupim e ferrugem famintos

Por tramelas e maçanetas

Até restar só o oco comido

E muita poeira de gente

Perdida entre as frestas

Um alçapão invertia os dias

Ziguezagueando

Porta com porta batida

Como mãos que se tocam

Pelo avesso das palmas

E não havia atrás da porta

Ninguém bateu

Era apenas a espera

Estalando os dedos

 

eladisse

Anúncios

5 Respostas to “na sombra da dúvida”

  1. marcelo Says:

    clac !

  2. clarice Says:

    ju!
    que lindo…

    é bom ver seus desenhos e escritos aqui, que parece que to com vc aí me contando sobre as coisas…

  3. Roberto Marques Says:

    Oi Júlia,

    Li seu poema agora pela manhã e, pensei na espera e nos sonhos. Você captou bem a espera por algo, por alguém…

    Abraço.

    Roberto Marques

  4. mariana paz Says:

    As vezes a gente é mais forte no pouco.

  5. luluxa Says:

    Muito bacana seu blog Julia, parabens, bola rolando.
    Bom demais visitar!
    bjs!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: